segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Experiência com Deus

Muitas pessoas me falam que não acredito em deus por que nunca tive uma experiência com ele. Essas pessoas me dizem que tiveram experiências com deus e que por isso acreditam e confiam nele. Algumas acrescentam que também não acreditavam ou que não davam importância pra deus, mas que após passarem por tal experiência, mudaram.
Quando eles me falam sobre essas experiências, sinceramente não vejo nada de diferente, nada de “anormal”, nada que me faça pensar ou ver que aquela experiência realmente foge a tudo que conhecemos e vemos. Apresentarei alguns exemplos de experiências que me relatam.
Umas das mais típicas histórias que ouço das pessoas é que quando estavam em apuros, recorreram a deus pela oração ou de outra forma, e ele as ajudou. Permitam-me citar e analisar três exemplos:
1. elas mesmo, um parente ou amigo se encontravam doente, elas oraram e deus interferiu. Pessoas que estavam a beira de morte, se reergueram.
Primeiro, é válido salientar que todos os dias, ao redor do mundo, pessoas que estavam a beira de morte, se erguem. Com ou sem oração, sendo cristãs, muçulmanas, atéias, budistas ou qualquer outra crença ou filosofia. Ou seja, isso é algo muito comum, não há nada de assombroso ou diferente nisso.
Segundo, muitas pessoas são alvos de oração, e mesmo assim pioram e morrem.
Veja que todos os dias morrem inúmeras pessoas pelas quais igrejas estão reunidas em oração. Eu vivi um caso desses quando meu filho foi alvo de orações de católicos e protestantes, no entanto, ele morreu.
Quando a pessoa alvo ad oração é salva, atribuem a deus. Quando a pessoa piora ou morre, alegam que deus faz como quer, que deus sabe o que é melhor e que não cabe a nós querer questionar ou mudar isso. Assim é muito fácil! Ora, se a pessoa reage ou não, deus ainda é creditado. Eu vou orar a outro deus qualquer, se for atendido, atribuo a ele, se não for, alego que ele faz como quer. Esse raciocínio é sem sentido. Sem falar que muitas pessoas se recuperam sem nenhuma oração, apenas com a medicina. Mas se alguém insiste que as orações podem muito em seus efeitos, penso gentilmente que orem pra que as crianças aidéticas e cancerígenas sejam curadas pelo todo-poderoso e bom deus. Isso pra ele com certeza é muito simples. Mas se não der certo, não me venha dizendo que deus faz como quer, por que você mesmo me disse que a oração pode muito em seus efeitos! Afinal, tenho certeza que se der certo, você vai atribuir a deus. Pode ou não? Se pode, ore por essas crianças.
2. Suas vidas estavam caóticas, afogadas de problemas financeiros. Mas deus mostrou uma saída
Problemas financeiros é algo extremamente comum em toda parte do globo. Isso não tem nada a ver com fé, deus, Jesus, Alah ou algo parecido. Primeiro, veja que muitas pessoas arrogantes e que não ajudam ninguém, são ricas, tem uma vida financeira muito organizada e instável. Por outro lado, pessoas boas e trabalhadoras (muitas vezes cristãs) não tem o mesmo conforto financeiro. Não me venham dizendo que dinheiro não traz felicidade, que muitos ricos são infelizes e que muitos pobres são felizes, pois isso não tem nada a ver com o assunto! Estamos falando de dinheiro mesmo!
Segundo, emprego estar ligado a regiões, capacidades ou outra questão social ou profissional. Muitos gostam de citar pessoas com formação acadêmica que são garis (gari não é profissão). Eu não conheço nenhum cardiologista, neurocirurgião, clínico geral, juiz de direito ou algum filho de deputado, varrendo rua! Vocês conhecem? Se vocês encontrarem, sabem muito bem se tratar de algo raro, digno de um Cid Moreira dizer: isso é um espanto!
Se uma porta de emprego que se abre é uma intervenção divina, por que tantas pessoas ricas com mais e mais portas de oportunidades se abrindo, enquanto pessoas necessitadas com todas as portas se fechando? Alguém poderá cometer a insanidade de dizer que é por que não buscam em deus. Todos esses ricões (que todos infelizes, né?) buscaram ou buscam a deus? Todas as pessoas necessitadas não buscaram por deus? E as crianças que são filhas desses desempregados, tem que crescer, aprender a falar e a conhecer as coisas pra buscarem a deus, pra que deus possas abrir as benditas portas?
Seja qual for a crença ou filosofia, todos os dias pessoas ficam desempregadas ou são empregas por todo mundo. Não há nada de extraordinário nisso.
E se por acaso, você conhecer médicos que estão desempregados, mande-os pra municípios com carência desses profissionais, que ao invés de deus, a prefeitura vão abrir portas de emprego.


3. Tinham problemas familiares ou amorosos, mas deus mostrou uma saída, colocou alguém em minha vida, de onde menos esperava a ajuda veio, etc.
Primeiro, quem nunca problemas familiares? Eu costumo dizer que onde tem seres humanos, tem diversos tipos de pessoas e que normal divergências, desonestidades, etc. Problemas com drogas e violência, são os mais comuns penso eu. Bem, esteve que vos escreve será um exemplo bem curioso: sou ateu, não uso nenhuma droga ilícita ou lícita e nunca agredi ninguém em minha família. Aliás, nunca briguei fisicamente com ninguém. Drogas? Eu poderia citar inúmeros exemplos de pessoas que não usam, de famílias que vivem bem, mesmo sem nenhuma fé posta em prática. Conheço pessoas que eram alcoólatras e que hoje são pessoas transformadas pelo A. A., outras deixaram por conta própria, como eu por exemplo. E mais um vez, repito: isso ocorreu e ocorre muito em todo mundo. Você encontrará espíritas, ateus, católicos, protestantes, budistas e muitos outros, que tinham problemas familiares relacionados com drogas e violência, e que hoje tem uma nova vida. Claro, seria melhor que isso ocorresse mais.
4. Eram infelizes, sem ânimo, sem expectativas, se sentiam vazias, faltava algo.
Aqui é algo mais complexo. Falar sobre a felicidade de alguém é querer descrever terrenos desconhecidos. As pessoas alegam que são felizes ou infelizes, mas como saber? Mesmo assim, vou tentar mostrar resumidamente meu ponto de vista sobre o tema aqui abordado.
Primeiro, as pessoas são felizes de diversas formas e o que faz algumas pessoas felizes não faz outras. Alguns são ou se tornaram felizes após se tornarem adeptas de um determinada crença religiosa, outras após terem o perdão de alguém, outras após abandonarem um vício, outras ficarem curadas de uma doença, outras após alcançarem uma meta. Ou seja, a felicidade não parece ser pra quem acredita em deus. Todos os que não acreditam são infelizes? Parece absurdo afirma isso.
Portanto, esses relatos parecem ser coisas que acontecem rotineiramente em todo mundo e entre diversos tipos de pessoas, crenças e filosofias. São coisas que podem facilmente serem explicadas sem recorrer a alguma intervenção divina, mesmo que esta exista. Mas a questão aqui não é a existência de deus e sim as experiências que as pessoas passam. Claro, uma experiência pessoal é algo muito poderoso que pode influencias a vida e as opiniões de alguém, e disso eu não posso duvidar nem ignorar com algo sem importância.
No entanto, não me parecem ser algo sobrenatural.

(Carlos Wilker)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário